A mula sem cabeça- lenine


SAIU DE MADRUGADA
OS CASCOS NA CALçADA
QUEM TAVA ADORMECIDA, ESCUTOU
A NOITE ENLUARADA
CRUZOU EM DISPARADA
O LAGO ONDE A SEREIA SE BANHOU
CORREU A NOITE INTEIRA
ERGUEU TANTA POEIRA
PERDEU-SE NOS CAMINHOS DE SERTÃO
OUVIU ATRÁS DO MORRO
LATIDOS DE CACHORRO
E O GRITO DE UM JAGUAR NA ESCURIDãO
O CÉU, AS ESTRELAS
OUVIAM MEU FADO
PASSEI NUM ROçADO
CHEGUEI NUM CAPIM
MARIA FUMAçA
COM OLHOS DE FOGO
PASSOU A DOIS METROS, GRITANDO PRA MIM
SUBI NO VÉU DA CACHOEIRA
BEBI A CHUVA QUE CAIU
TIREI FAGULHAS NOS LAJEDOS
CRUZEI PAREDE QUE SE ABRIU
MONTANHAS ESCONDIDAS
VEREDAS TÃO COMPRIDAS
E A BOCA DO ABISMO A ESPERAR
TROPEL NA ENCRUZILHADA
CANÇÃO MAL ASSOMBRADA
CORUJAS COM SEUS OLHOS DE LUAR
O CÉU, AS ESTRELAS
OUVIAM MEU FADO
PASSEI NUM ROçADO
CHEGUEI NUM CAPIM
MARIA FUMAçA
COM OLHOS DE FOGO
PASSOU A DOIS METROS, GRITANDO PRA MIM
A mula sem cabeça- lenine
Article Number: 8428
Read. 671 Time.
Rate this article.
Thank you for your vote.

This article was written by:

Erlan Farinelli

Contact Me.

  • Email
  • Email
View More. Close.

article.Autor.author_review

Other articles written by this Author.