Choeropsis liberiensis

O hipopótamo-pigmeu (nome científico: Choeropsis liberiensis, do grego khoiros, porco; e opsis, parecido com; e liberiensis, relativo a Libéria) é uma espécie de mamífero da família Hippopotamidae, nativo das florestas e pântanos da África Ocidental. É uma das duas espécies viventes da família dos hipopótamos, e a única espécie atual do gênero Choeropsis.
Choeropsis liberiensis

Ao contrário do hipopótamo-comum, é uma espécie mais adaptada ao ambiente terrestre, motivo pelo qual apresenta diversas características morfológicas distintas e mais relacionadas com os habitats florestais em que vive. Devido aos hábitos furtivos e noturnos, pouco se conhece a respeito do comportamento social, reprodutivo e alimentar do hipopótamo-pigmeu.

É uma espécie ameaçada de extinção, sendo considerada em perigo pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN). Sua área de distribuição diminuiu drasticamente nos últimos trinta anos, principalmente pelo desmatamento, que fragmentou as populações. A guerra civil na região também influenciou negativamente as populações de hipopótamos, principalmente na Libéria.

Duas subespécies são conhecidas, cujas populações estão separadas, por cerca de 1800 km, pelo Corredor de Daomé. A subespécie nigeriana encontra-se possivelmente extinta, sendo registrada somente por alguns crânios coletados na década de 1940 pelo explorador colonial britânico I. R. P. Heslop.

Distribuição e habitat

O hipopótamo-pigmeu é endêmico da África Ocidental, sendo registrado na Serra Leoa, Guiné, Costa do Marfim, Libéria e Nigéria.[2] Um registro do rio Corubal na Guiné-Bissau feito por Cristino (1958), que sustentou ter atirado em um indivíduo, é quase certamente um espécime jovem de hipopótamo-comum.[1] É uma espécie florestal, preferindo as matas densas próximas a cursos d'água, mas que também pode ser encontrada em matas ciliares que se estendem aos bosques transicionais e ao sul da savana da Guiné.

A área original de distribuição do hipopótamo-pigmeu não difere significativamente da atual, apesar de as populações terem se fragmentado e desaparecido de algumas regiões. As maiores populações da espécie são encontradas na Libéria, onde é registrada nos condados de Grand Cape Mount, Lofa, Grand Bassa, Nimba, Grand Gedeh, Sinoe, Grand Kru e Maryland. As populações estão dispersas em diversas áreas florestais no interior do país, como o Parque Nacional de Sapo, Floresta de Cestos-Senkwehn, Floresta Nacional Krahn-Bassa, Floresta Nacional Gbi, Floresta Nacional Grebo e em diversas áreas no condado de Grand Kru. Não há informações sobre as populações do noroeste do país, que pode abrigar um substancial número de hipopótamos.[1] Estudos sobre essas populações, contudo, têm sido complicados por causa dos conflitos civis no país, tais como a Primeira e a Segunda Guerra Civil da Libéria.

Ilha Tiwai, na Serra Leoa, onde pode ser encontrada uma pequena população de hipopótamos-pigmeus

Na Serra Leoa populações remanescentes podem ser encontradas na região da Floresta de Gola na fronteira com a Libéria, na ilha Tiwai, localizada no rio Moa e nas Montanhas Loma. Outras populações reportadas na década de 1960 estão agora presumivelmente extintas.[1]

A Guiné contém fragmentos populacionais de hipopótamos-pigmeus ao longo das fronteiras com a Libéria e a Costa do Marfim, na Reserva de Ziama. Evidências também sugerem uma população pequena na Reserva Florestal Diécké, ao sudoeste de Ziama. A Floresta Déré, onde era reportada a existência de animais, encontra-se atualmente degradada e com muitas áreas convertidas para a agricultura.[1][3]

A Costa do Marfim perdeu grande parte de sua cobertura florestal, e a população de hipopótamos tornou-se fragmentada, podendo ser encontrada principalmente na fronteira com a Libéria, na região de Fresco, no Parque Nacional de Taï, e possivelmente na Reserva Florestal Cavally, Reserva Natural do Monte Nimba, Reserva Florestal N'Zo, Floresta Taipleu, Lagoa Tatigbo e ao longo dos rios Gagbe, Bolo e Niouniourou.[1]

Na Nigéria, os hipopótamos-pigmeus são conhecidos do Delta do Níger a leste, até as proximidades do rio Cross. Essa população está isolada em mais de 1800 quilômetros a leste, da outra população, do outro lado do Corredor de Daomé.[1]

Article Number: 15194
Read. 37 Time.
Rate this article.
Thank you for your vote.

This article was written by:

Rogerleks Frasson

Contact Me.

  • Email
  • Email
View More. Close.

article.Autor.author_review

Other articles written by this Author.