Economia do Camboja

Economia do Camboja

A moeda do Camboja é o riel. Nas grandes cidades, é comum e aceitável o uso do dólar norte-americano, e em regiões fronteiriças com a Tailândia comumente também se usa o baht. Durante o regime de governo do Khmer Vermelho, já se discutia a adoção de uma nova moeda para o país.

Apesar das melhorias recentes, a economia do Camboja continua a sofrer instabilidade, como resultado de décadas de guerra civil e tensões políticas. O PIB per capita está crescendo rapidamente, mas ainda é baixo em comparação com outros países da região. A maioria das famílias rurais dependem enormemente da agricultura. As principais exportações do Camboja são têxteis, madeira, borracha, arroz, pescado e tabaco. Além destes, destacam-se também o cultivo do café, cana-de-açúcar, chá, borracha e pimenta-do-reino. O cultivo do arroz é praticado em vales fluviais de forma intensa, com elevada produtividade. Os principais parceiros de exportação do país são os Estados Unidos, Singapura, a Alemanha, o Reino Unido, o Canadá e o Vietnã.

Entre 2004 e 2008, a economia cambojana cresceu mais de 10% ao ano. A indústria têxtil e o turismo são os principais setores de crescimento. Em 2010, o país recebeu 2,508 milhões de turistas. O turismo é a segunda maior fonte de renda depois da indústria têxtil. Angkor, Siem Reap e Phnom Penh são os principais destinos turísticos. As ilhas tropicais da costa sul ainda não são muito exploradas pelo turismo. Por outro lado, o Camboja é também um notável destino para o turismo sexual — uma preocupação particular é a prostituição infantil e prostituição de caráter forçado.

O risco-país do Camboja ainda é considerado muito alto para investidores estrangeiros. O país faz parte de uma lista de 16 nações como sendo de extremo risco nos fundos de investimentos. Os fatores que mais contribuem para a permanência do país como uma nação de alto risco para investimentos deve-se, principalmente, à pouca qualificação e educação adequada da população, especialmente em áreas rurais pobres, onde a infraestrutura é quase inexistente. O medo de desequilíbrio político e corrupção têm retardado o investimento estrangeiro. Entre 2004 e 2009, o investimento estrangeiro, no entanto, cresceu 12 vezes a mais que na década de 1980. Em 2005, foram encontrados petróleo e gás natural em suas águas territoriais. A indústria de mineração e siderúrgica está em crescimento, especialmente no norte do país. O solo é rico em pedras preciosas, ferro, manganês e fosfato.

Entre 1980 e 1990, a economia do Camboja cresceu 5% ao ano. Foram taxas anuais de crescimento da economia superiores à média mundial, baseadas em investimentos estrangeiros. Mas a partir da segunda metade de 1990, esses investimentos começaram a escassear (eles foram para outras partes do globo), e essas taxas diminuiram.

A agricultura continua a ser o setor mais importante da economia do Camboja em termos de sua participação no produto interno bruto (PIB) e emprega a grande maioria da força de trabalho. O arroz é o principal produto agrícola do Camboja, seu principal alimento e o seu mais importante produto de exportação. Este é cultivado em mais de metade da área total de terras cultivadas no país. As principais regiões produtoras de arroz são as que cercam o delta dos rios Mekong e Tonle Sap, com um cultivo particularmente intensivo nas províncias de Batdambang, Kampong Cham, Takev e Prey Veng.

Economia do Camboja
Article Number: 12280
Read. 427 Time.
Rate this article.
Thank you for your vote.

This article was written by:

Clarissa Macedo

Contact Me.

  • Email
  • Email
View More. Close.

article.Autor.author_review

Other articles written by this Author.