Principais diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil . Parte 1

Você sabia que, apesar de ser a mesma língua, existem algumas diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil? Os portugueses deixaram muitas heranças para o Brasil, entre elas a mais marcante de todas as características de um povo: o idioma.

Para ajudar na compreensão, confira frases com palavras que significam outras coisasou ainda se parecem bastante, mas não são exatamente aplicadas da mesma forma em ambas as nações.

– Português do Brasil: Alô, quem fala?
– Português de Portugal: Estou, quem fala?

– Português do Brasil: Comprei um celular novo.
– Português de Portugal: Comprei um telemóvel novo.

– Português do Brasil: Tem alguém no banheiro?
-Português de Portugal: Está alguém na casa de banho?

– Português do Brasil: Qual é o ônibus que vai para o centro?
– Português de Portugal: Qual é o autocarro que vai para o centro?

– Português do Brasil: Você tem que pegar o trem até lá.
– Português de Portugal: Você tem que apanhar o comboio até lá.

– Português do Brasil: Adoro os bondes de Lisboa.
– Português de Portugal: Adoro os elétricos de Lisboa.

– Português do Brasil: Onde fica o ponto de ônibus?
– Português de Portugal: Onde fica a paragem de autocarro?

– Português do Brasil: Vestirei meu melhor terno.
– Português de Portugal: Vestirei o meu melhor fato.

– Português do Brasil: Preciso de um maiô novo.
– Português de Portugal: Preciso de um fato de banho novo.

– Português do Brasil: Onde está a mamadeira do meu filho?
– Português de Portugal: Onde está o biberão do meu filho?

– Português do Brasil: Gosto de tomar suco natural.
– Português de Portugal: Gosto de beber sumo natural.

– Português do Brasil: Preciso passar no açougue.
– Português de Portugal: Preciso de passar no talho.

– Português do Brasil: Que horas vocês servem o café da manhã?
– Português de Portugal: A que horas vocês servem o pequeno-almoço

– Português do Brasil: A receita leva creme de leite.
– Português de Portugal: A receita leva natas.

– Português do Brasil: Gosto de bacon.
– Português de Portugal: Gosto de presunto.

– Português do Brasil: Prefiro presunto.
– Português de Portugal: Prefiro fiambre.

– Português do Brasil: Eu prefiro mamão à manga.
– Português de Portugal: Eu prefiro papaia a manga.

– Português do Brasil: Aprecio uma boa cachaça.
– Português de Portugal: Aprecio um bom bagaço.

Outras expressões

– Português do Brasil: Nos dias quentes, nada como um sorvete.
– Português de Portugal: Nos dias quentes, nada como um gelato.

O nosso bom e velho português chegou em território tupiniquim junto aos padres jesuítas durante a colonização. Mas com o passar do tempo, surgiram algumas mudanças na forma de falar o mesmo idioma.

As principais disparidades estão relacionadas não só ao vocabulário em si, mas também existem dissemelhanças em relação à sintaxe e à fonética, que chamamos normalmente de sotaque.

Certamente, você já ouviu um nativo de Portugal falar e imediatamente reconheceu que se tratava de um estrangeiro, somente pela forma como ele pronuncia as palavras. Saiba mais sobre as curiosidades dessa língua tão bonita.

Maiores diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil

Para exemplificar bem as maiores diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil, você precisa compreender que nem sempre essa disparidade é percebida na forma como as palavras são escritas, mas sim, na forma como se pronunciam.


Fonte : Estudo pratico.com

Por exemplo, no português do Brasil costuma-se substituir o som do “l” pela vocal “u”. Por exemplo, a palavra “papel”, fala-se no Brasil, “papeu”. Deixando o “u” bem marcado. Já em Portugal, a letra “l” seria destaque e pronuncia-se “papel”, dando ênfase ao “l”.

Outra característica fonética é em relação à letra “o” no final das palavras. Na prática, os brasileiros costumam substituir a vogal “o” pela vogal “u”. Basta pensar nas palavras “martelo” (falamos martelu), “afeto” (falamos afetu), “acordo” (dizemos acordu), entre outras.

Mais uma diferença entre o português luso e o tupiniquim é a forma como são usados os pronomes. Ao invés de dizermos “dá-me uma carona” ou “apresse-se para o jantar”, como em Portugal, usamos sempre o pronome antes do verbo e fica assim: “me dá uma carona” ou “se apresse para o jantar”. Ambas as formas estão corretas, porém são maneiras diferentes de se aplicar os pronomes oblíquos.

No Brasil, é clássico e até já virou piada a quantidade de gerúndio que utilizamos no dia a dia. É natural, as pessoas falarem: “estou esperando você” ou “você está arrumando tudo errado” ou ainda “estarei ligando para você no próximo dia útil”.

Em terras lusitanas, é mais usual falar-se: “estou a esperar por você”, “você está a arrumar tudo errado” e “estarei a ligar para você no próximo dia útil”.

Acentuação gráfica das palavras

Há disparidades também na forma como escreve-se algumas palavras. Um dos principais pontos turísticos de Lisboa é o Mosteiro dos Jerónimos. Sim! O tradicional chapeuzinho ou acento circunflexo não é usado nas palavras lusitanas, o que parece bem estranho para nós ou até mesmo incorreto.

Mas existem muitas palavras acentuadas de forma totalmente estranha para os brasileiros, como ténis, académico, bónus etc. Já outras palavras recebem o acento que no português brasileiro não existe, como dêmos e íman.

Veja também: 10 Melhores aplicativos para estudar português

Palavras com significado diferente entre português de Portugal e do Brasil

Além das diferenças na escrita e fonética, há ainda aquelas palavras que têm significados diferentes. Esses termos podem confundir um brasileiro que estiver em terras lusitanas ou vice-versa.

Principais diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil . Parte 1
O nosso bom e velho português chegou em território tupiniquim junto aos padres jesuítas durante a colonização
Article Number: 19937
Read. 862 Time.
Rate this article.
Thank you for your vote.

This article was written by:

Carla Fernanda Bernardes

Contact Me.

  • Email
View More. Close.

article.Autor.author_review

Other articles written by this Author.