Sistema nervoso: o que é e como funciona . Parte 2

Bulbo

Sua função é relacionada à respiração, aos reflexos cardiovasculares e transmissão de informações sensoriais e motoras.

Ponte

Transmissão das informações da medula e do bulbo até o córtex cerebral e conecta-se com centros hierarquicamente superiores.

Cerebelo

Situado dorsalmente ao bulbo e à ponte, é responsável pelo controle motor. Pesquisas recentes sugerem que a principal função do cerebelo seja a coordenação sensorial. Difere do cérebro por funcionar sempre em nível involuntário e inconsciente.

Sistema Nervoso Periférico

Este sistema é formado pelos gânglios nervosos, pelos nervos cranianos (que saem do encéfalo) e pelos nervos espinais(que saem da medula espinal).

Na espécie humana há doze pares de nervos cranianos (o mesmo número encontrado em répteis, aves e mamíferos, enquanto nos peixes e anfíbios há dez pares) e 31 pares de nervos espinais (o mesmo número nos outros mamíferos).

Os nervos cranianos fazem a conexão com os órgãos dos sentidos e com músculos esqueléticos da face; o nervo vago faz a conexão com o coração e alguns órgãos digestórios e respiratórios. Cada nervo é formado por dezenas e até centenas de prolongamentos de neurônios, as neurofibrilas (ou fibras nervosas), envolvidos por tecido conjuntivo.

No sistema nervoso periférico encontram-se:

  • Nervos sensitivos: que recolhem informações dos órgãos dos sentidos e dos órgãos internos;
  • Nervos motores: que levam mensagens do sistema nervoso central para os músculos e para as glândulas;
  • Nervos mistos: com fibras nervosas sensitivas e motoras.

Lesões na medula espinal podem causar a paralisia. Dependendo do local da lesão e da intensidade do dano, pode ocorrer a paraplegia, que é a paralisia dos membros inferiores, ou a tetraplegia, que é a paralisia dos membros superiores e inferiores.

O Sistema Nervoso Periférico é dividido em sistema nervoso somático e sistema nervoso autônomo ou visceral:

  • Sistema nervoso somático – está relacionado aos movimentos voluntários, no entanto, muitas respostas ocorrem de modo involuntário. É o caso dos atos reflexos, em que as respostas voltam pela medula antes de ir para o cérebro. Dizemos, então, que o sistema nervoso somático controla a relação com o ambiente. A informação do sistema nervoso central é levada pelos neurônios aos músculosesqueléticos, estimulando-os diretamente.
  • Sistema nervoso autônomo – está relacionado aos movimentos involuntáriosdos músculos como os não-estriado e estriado cardíaco, sistema endócrino e respiratório. É dividido em simpático e parassimpático. Estes exercem função antagônica sobre o outro e são controlados pelo sistema nervoso central, principalmente pelo hipotálamo.

Divisão do sistema nervoso autônomo

O sistema nervoso autônomo divide-se em simpático e parassimpático.

  • Nervos simpáticos originam-se na região mediana da medula;
  • Nervos parassimpáticos saem do bulbo e da extremidade final da medula.

Tanto o sistema nervoso simpático quanto o parassimpático possuem gânglios situados próximos à medula espinal ou aos órgãos que inervam.

Problemas no sistema nervoso

Diversos fatores podem provocar danos ao sistema nervoso. A meningite, por exemplo, é uma doença causada por vírus ou bactérias que invadem as meninges. Os sintomas da meningite são febre, dor de cabeça muito forte e rigidez na musculatura da nuca, que impede a pessoa de encostar o queixo no peito. Essa infecção pode se espalhar pelo sistema nervoso e, por isso, é necessário pronto atendimento médico.

O sistema nervoso pode ser afetado também por problemas circulatórios. A hipertensão e a aterosclerose podem levar ao rompimento ou à obstrução de um vaso sanguíneo, resultando na morte da parte do cérebro irrigada por esse vaso e perda da função que essa parte controlava (algum sentido, movimento de uma área do corpo), ou até mesmo resultar na morte da pessoa.

Até certo ponto é possível recuperar os danos ocorridos no cérebro. Por meio de exercícios especiais, outras porções do cérebro são estimuladas e podem assumir, pelo menos em parte, as funções que as áreas destruídas exerciam.

Referências

» BEAR, Mark F.; CONNORS, Barry W.; PARADISO, Michael A. Neurociências: desvendando o sistema nervoso. Artmed Editora, 2002.

» IRIGOYEN, Maria Cláudia; CONSOLIM-COLOMBO, Fernanda M.; KRIEGER, Eduardo Moacyr. Controle cardiovascular: regulação reflexa e papel do sistema nervoso simpático. Rev Bras Hipertens, v. 8, n. 1, p. 55-62, 2001.


Fonte : Estudo pratico.com

Sistema nervoso: o que é e como funciona . Parte 2
Até certo ponto é possível recuperar os danos ocorridos no cérebro
Article Number: 19651
Read. 479 Time.
Rate this article.
Thank you for your vote.

This article was written by:

Carla Fernanda Bernardes

Contact Me.

  • Email
View More. Close.

article.Autor.author_review

Other articles written by this Author.